Exílio


Jane Engel Correa

Exílio

Neste desenlace repleto de nós
Em que a mente distancia-se do corpo,
padece a alma e descompassa o coração.
E é no silêncio das lembranças turvas
de um passado eminente
que veste a capa da ausência e
distancia-se do real;
que voeja insensatez,
empossada de resistência.

Sobrevivendo no desvario
despede-se do desterro sem fim
da memória que escasseia
e das recordações mais vivas
E ao encontro da escuridão; teme
o fim dúbio, incerto, inseguro
tendo a lua como única testemunha
no inalcançável limiar
neste exílio que é amar.

(Pássaro da noite)


voltar

Jane Engel Correa

E-mail: janeengelc@yahoo.com

Clique aqui para seguir esta escritora


Pageviews desde agosto de 2020: 4582

Site desenvolvido pela Editora Metamorfose